16 de Janeiro de 2018
Notícias

Deputado cria lei para banir carros movidos a gasolina

56Acessos

Viver sem carros a gasolina parece impossível, não é verdade?

Não é o que pensa o deputado do Partido Democrata (o mesmo de Barack Obama), Phil Ting, que quer banir os carros movidos a combustíveis fósseis da Califórnia.

gasolina

A medida já é discutida na China, França,Reino Unido e alguns outros países.

Ting é membro da Assembleia da Califórnia e presidente do comitê de orçamento da câmara. O projeto apresentado por ele sugere que a partir de 2040, carros movidos a combustíveis fósseis não sejam mais produzidos em fábricas e apenas carros considerados limpos possam ser comercializados.

“Se não há um prazo estabelecido, não se faz nada”,  disse o parlamentar, que representa parte considerável de São Francisco.

Segundo o deputado, o projeto de lei será apresentado no mês que vem, na próxima sessão legislativa.

A Califórnia não será o primeiro lugar do mundo a banir a gasolina

 

Previsto para o mesmo ano, o Reino Unido pretende banir os combustíveis fósseis a partir de 2040.

Alguns outros países prometem fazer o mesmo, Noruega logo ali em 2025 e Índia, em 2030, são os mais apressados.

Corroborando da ideia dos políticos, fábricas como a Volvo prometeram fabricar apenas carros elétricos e híbridos já nos próximos anos.

Há estudos que afirmam que os combustíveis de origem fóssil matam entre 20 mil e 40 mil pessoas todos os anos no Reino Unido.

Alguns anunciadores do apocalipse acreditam que duas décadas são tempo demais e exigem medidas de curto prazo.

Ar puro com o auxílio do governo

O governo britânico afirma estar bastante preocupado com o meio ambiente e dispôs do equivalente a R$1 bilhão para ajudar as prefeituras a reduzirem a emissão de poluentes.

Há um incentivo para a criação de zonas que contenham ar limpo, redesenhar as ruas, melhora nos sinais de trânsito e investimento em energia limpa.

O objetivo é que em alguns anos os carros movidos a gasolina só possam existir nos museus.

É esperar pra ver.

Deixe uma resposta